Efeito agudo do ultrassom terapêutico contínuo na temperatura da pele, em região de ponto gatilho: relato de caso

  • Michelle Borges Nery Ferreira
  • Cleber Souza de Jesus

Resumo

O ultrassom terapêutico é utilizado no tratamento de ponto gatilho miofascial e a termografia pode ser utilizada como ferramenta auxiliar no diagnóstico e no acompanhamento desses casos. Dessa forma, este estudo teve por objetivo avaliar a resposta aguda do ultrassom contínuo no tratamento de ponto gatilho miofascial por meio da termografia, em um paciente do sexo masculino, sedentário, com 41 anos de idade e sem comorbidades. Na avaliação termográfica foi identificado um ponto gatilho em região de trapézio do lado direito, cuja temperatura excedia em 0,4ºC o lado contralateral. Em seguida, foi aplicado ultrassom terapêutico contínuo por quatro minutos, frequência de 3Mhz e intensidade de 1,4 W/cm². Após conduta terapêutica, foi realizado seguimento da região de interesse por meio da termografia com imagens a cada 2 minutos. Imediatamente após a aplicação, a temperatura local foi elevada em 4,4ºC com posterior redução até o 7º minuto.  A partir do 9º minuto, foi registrado um ligeiro aumento da temperatura da pele no local da intervenção, e, a partir de então, a temperatura se manteve praticamente constante até os minutos finais de acompanhamento. Houve redução da intensidade da dor e da percepção sensorial da localização do ponto gatilho. Este relato de caso revela que a termografia possui grande potencial de aplicação tanto no auxílio diagnóstico quanto no monitoramento da evolução do tratamento.

Publicado
Nov 29, 2021
Como Citar
FERREIRA, Michelle Borges Nery; JESUS, Cleber Souza de. Efeito agudo do ultrassom terapêutico contínuo na temperatura da pele, em região de ponto gatilho: relato de caso. Pan American Journal of Medical Thermology, [S.l.], v. 7, p. 003, nov. 2021. ISSN 2358-4696. Disponível em: <https://abraterm.com.br/revista/index.php/PAJMT/article/view/102>. Acesso em: 25 jan. 2022. doi: http://dx.doi.org/10.18073/pajmt.2020.7.003.
Seção
Relato de Caso